sábado, 28 de abril de 2012

A Mão Esquerda de Deus


A morte em forma de guri.

"Seu nome é Cale. Disseram a ele que poderia destruir o mundo. Talvez ele destrua..."

Quando eu ouvi falar desse livro há alguns anos atrás, eu fiquei maluco com a premissa e quis ler de toda forma, mas não encontrava em nenhuma livraria. Pois bem, minha irmã o comprou (sem nenhuma influencia minha, é lógico) na ultima Bienal que rolou aqui no RJ, mas só agora eu consegui lê-lo. Repleto de referencias a história cristã (isso pra não dizer que os Redentores são católicos agressivos), o livro de Paul Horffman me animou a finaliza-lo em seis dias.
Thomas Cale é um dos acólitos do Santuário dos Redentores, uma espécie de seminário para onde foi levado ainda criança. Em sua estadia por lá, fora sujeito a treinamento intenso e a terríveis punições físicas durante dez anos, até que ao salvar uma jovem (coisa que nunca tinha visto até então) se vê obrigado a fugir e assim começar sua longa jornada.
A história é muito boa e, embora tenha um inicio arrastado, tem um potencial incrível, prendendo pela curiosidade e sempre reservando alguma surpresa, mesmo empolgando em poucos momentos. 
Senti falta do desenvolvimento de alguns personagens do núcleo principal, que se tornaram meros side-kicks cuja presença deixa de ser relevante a partir da metade do livro. IdrisPukke, Henri, Kleist e Riba (que acabou sendo a catalizadora de toda jornada iniciada pelos acólitos) simplesmente tiveram sua importância reduzida a alguns poucos diálogos e uma cena ou outra de ação como coadjuvantes. 
Já o casal principal e o Redentor Bosco são personagens sensacionais, bem como Vipond e tem suas motivações e conflitos muito bem explorados, tornando-os marcantes. Também gostei muito da exploração dos cenários e, principalmente, das descrições de combate. PUTAQUEPARIU!!! O combate entre Solomon Solomon e Cale é simplesmente sensacional e foi a cena que realmente me marcou do livro.
Como é uma trilogia, comprarei os outros dois livros pra saber como será o final dessa aventura, visto que alguns itens que eu achei que fossem de grande importância foram deixados de lado logo no inicio e tenho esperança de que sejam explicados no decorrer da série.


Conceito geral: 3.5/5