segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Esperança - O fim da saga de Jogos Vorazes

Você sai dos jogos mas os jogos não saem de você.

Finalmente, depois de muitos meses após meu primeiro contato com a história, após ter comprado a colecção de livros, após postagens e discussões, eis que chego ao fim dessa saga que, de certa forma, foi a história do ano pra mim.
Vejam bem, por história do ano, quero dizer que foi a saga a qual me dediquei a ler e tentar entender, a discursar sobre.


Nesta terceira parte da saga, somos apresentados a um cenário de guerra civil. Após os acontecimentos do Massacre Quaternário, vemos aquilo que estivemos esperando (não sei vocês, mas pelo menos eu estive) desde o primeiro livro: A GUERRA.
E o livro é bem sobre isso mesmo. A guerra e seus efeitos. O que ela pode fazer com as pessoas, como ela modifica não só quem somos, como também o que somos. E devo confessar que eu me surpreendi.

Quem acompanhou as minhas resenhas de Jogos Vorazes e de Em Chamas deve se lembrar bem das duras críticas que fiz aos livros como a falta de background não só do universo como também dos personagens. Bem, quanto ao universo, não tivemos muitas explicações mas os personagens, cara, como eles deram uma guinada. E que guinada.

A crueldade com a qual ela descreve a guerra é uma atração a parte. Não só os combates armados como a psique de um soldado traumatizado com tantas perdas e tanto sangue em suas mãos, mas que não pode deixar o campo de batalha é muito bem apresentada, embora em alguns momentos eu tenha sentido uma pitada de exagero. Como não sou ex-soldado e nem tenho traumas de guerra, não posso falar disso com tanta propriedade, mas todo esse drama psicológico me fez refletir sobre muita coisa.
Mesmo a Capital não tendo tanto desenvolvimento em termos de profundidade e de personagens, Suzanne Collins conseguiu explicar suas motivações com apenas uma reflexão de Katniss. Apenas um pensamento.
Fico profundamente triste pela forma como eu acho que ele será retratado no cinema. Ele é bem violento. Bem violento mesmo. A censura mínima dele deveria ser 16 anos, tipo Jogos Mortais e tal mas provavelmente vai ser reduzida pra 14, o que vai cortar muito o tesão de assisti-lo. Fiquei espantado ao ver no site da autora que sua classificação etária nos EUA é 12 anos.

A impressão que eu tive é que os dois primeiros livros eram apenas uma preparação. Enquanto nos outros você só comprava as motivações do casal principal por ser os que você mais conhecia, nesse terceiro você consegue entender os pensamentos e atitudes dos rebeldes. Mesmo aqueles que não tem um desenvolvimento tão expressivo recebem explicações plausíveis para o que estão fazendo ali. Isso foi bom pois eu me senti muito mais inserido no mundinho mas para a saga como um todo é bem triste.

Com um final surpreendente (não o epílogo, o final mesmo), é um ótimo livro e recomendo a qualquer um. Eu esperava algum encerramento cliché e ele me deu um tapa na cara. Depois, destruiu toda a magia do final com aquele epílogo mas vale bastante a pena. Infelizmente ele não funciona isoladamente já que faz parte de uma série. Como um drama de guerra para jovens adultos, ele se venderia muito bem.

Título: Esperança
Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Nota: 4/5


A trilogia como um todo

A saga apresenta um crescimento bem interessante e isso seria ótimo se não fosse, ao invés de uma curva, um subida de quase 90º. O primeiro livro é um tanto quanto lento, o segundo apresenta um inicio interessante, uma metade enfadonha e um bom final. Já o terceiro me prendeu muito mais do que os outros dois, sendo mais dinâmico. A intenção da autora claramente era descrever a situação a partir de um determinado ponto de vista. A guerra pelo olhar do homem do povo que se vê obrigado a participar dela. Os desdobramentos da mesma, as perdas e dores, os conflitos não só físicos como mentais e o que resta dele no final, em quem ou no que ele se transformou. Talvez o fato de ser filha de um veterano do Vietnã e toda a confusão no Iraque tenham servido de bastante inspiração.
Mesmo com todos os problemas, valeu a pena. Se lerei novamente? Talvez. Se os golfinhos, os pombos e os coalas não resolverem iniciar seu plano de retomada do mundo (?), posso ter essa oportunidade.

Nota Geral:
3.5/5