terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O Hobbit - Uma Jornada Inesperada (ao cinema)



Esse é o primeiro post especificamente sobre cinema do blog e, para falar a verdade, é a primeira vez que vou me atrever a "avaliar" um filme. Lembro a vocês que aqui não tem nenhum especialista e sim um entusiasta.

Na ultima sexta-feira estreou nos cinemas mundiais a adaptação de mais uma das obras do grande JRR Tolkien. A carta da vez foi O Hobbit, mais uma vez dirigido pelo grande Peter Jackson. Eu estava a espera desse filme desde que anunciaram o inicio das filmagens. O anúncio de uma tecnologia inovadora, a projeção de 48fps (quadros por segundo) foi algo que ao qual eu não estava dando muito crédito assim como o 3D, que eu já estava descrente. Obrigado pelo tapa na cara, sr Jackson.

Eu nunca antes havia visto uma imagem tão bonita em uma tela de cinema. Dizem que Avatar foi uma revolução em termos de imagem. Bem, eu não assisti Avatar mas creio que O Hobbit não só rivaliza como talvez o supere não só pela qualidade e beleza das imagens como também da profundidade criada pelos 48fps. Esse também é o primeiro filme que assisti cujo o 3D foi realmente funcional. Tecnicamente impecável. Até mesmo o Gollum se tornou mais impressionante do que antes. Eu fiquei embasbacado.

O Hobbit conta a história da aventura que Bilbo Baggins/Bolseiro passa a protagonizar junto a 12 anões, comandados por Thorin Oak-Shield e Gandalf, o mago cinzento, rumo a Montanha Solitária, antes conhecido como reino anão de Erebor, para recupera os tesouros e o reino, que foi tomado pelo dragão Smaug.
A película, como já era de se esperar, possui algumas discrepâncias com relação ao livro. Algumas até compreensíveis, outras sem necessidade e outras sem o menor sentido. SEM O MENOR SENTIDO MESMO.
Agora é o meu lado fanboy falando. Cara, o que deve ter dado na cabeça do Peter Jackson pra fazer aquilo com o Radagast? Sério cara, eu ainda estou tentando entender. Ele é um Istari, estava lá durante a criação da Terra Média. Ele é anterior ao próprio tempo e uma das criaturas mais poderosas já nascidas. E foi transformado em um velho druida excêntrico e, aparentemente, viciado em cogumelos. Porra Peter Jackson, eu entendi que isso foi pra justificar a ausência que o Gandalf vai ter no segundo filme, a presença das águias e coisas assim mas torna-lo um personagem tão galhofa não fez sentido.
Outra coisa que me incomodou bastante foi o momento "Gigante de Aço" em versão pedra. Pareciam Transformers desengonçados. No livro não rola daquele jeito. É tão inexplicável quanto, mas não é nem um pouco parecido.

Cenas de ação foram adicionadas pra dar mais dramaticidade e dinâmica ao filme e isso não é ruim. Ruim é quando modificam coisas que não fazem sentido serem mudadas pois se sustentam bem sozinhas. Não sei se é porque eu li o livro mas eu acho que certas coisas não precisam ser explicadas. A curiosidade faz com que elas pareçam maiores do que são e o mistério que passa a envolve-lo dá uma carga de magia a tudo e esse é o barato da coisa: imaginar.

É um óptimo filme mas temos que lembrar o seguinte: NÃO É O SENHOR DOS ANÉIS!!!
Não vá ao cinema pensando que você vai ver uma sequência. É uma história que veio antes, em um tempo muito anterior a do Senhor dos Anéis. Se vocês não puserem na cabeça que esse é um filme baseado em um livro infantil, só quer ver porrada ou que acha que história medieval tem que ser sombria, não assista ao filme.

É um ótimo filme mas temos que lembrar o seguinte: NÃO É O SENHOR DOS ANÉIS!!!
Não vá ao cinema pensando que você vai ver uma sequência. É uma história que veio antes, em um tempo muito anterior a do Senhor dos Anéis. Se vocês não puserem na cabeça que esse é um filme baseado em um livro infantil, só quiserem ver porrada ou que acham que história medieval tem que ser sombria, não desperdicem seu dinheiro. O filme tem seus momentos sérios mas não é tão denso quanto LotR. Aceitem isso, mimizentos. u.u

Fora essas pequenas coisas que foram bem zoadas, está tudo perfeito. Howard Shore mais uma vez fez um trabalho incrível com a trilha sonora, os combates foram muito bem coreografados (a sequência da montanha é sensacional), os efeitos visuais, deslumbrantes. Acho que devem rolar algumas indicações pro Oscar porque ficou muito bem feito. Que venha o próximo dezembro e, com ele, O Hobbit - A Desolação de Smaug.

Filme: O Hobbit - Uma Jornada Inesperada
Direção: Peter Jackson
Roteiro: Peter Jackson; Philippa Boyens; Guilhermo del Toro
Trilha Sonora: Howard Shore
Nota: 4.7/5